Ribeirão Preto, 22 de Outubro de 2019

Sensibilidade ao Contraste

O teste da sensibilidade ao contraste pode auxiliar no diagnóstico precoce de doenças oculares sérias, que o teste de acuidade visual convencional (Snellen ou 20/20) pode não detectar até que a doença já esteja mais avançada. Também ajuda no monitoramento mais acurado destas doenças (catarata, glaucoma, degeneração macular e diabetes).

O teste da sensibilidade ao contraste complementa o teste de acuidade visual convencional, permitindo uma avaliação mais precisa da condição visual do paciente antes e depois de cirurgias como catarata e refrativas, auxiliando o oftalmologista a orientar melhor o paciente quanto às suas expectativas.

O teste de acuidade visual convencional mede apenas a quantidade de visão, enquanto o teste de sensibilidade ao contraste mede a função visual, avaliando tanto a quantidade quanto a qualidade da visão. Essa "visão funcional" reflete a nossa visão em situações reais, quando precisamos ver tanto pequenas imagens em alto contraste quanto grandes imagens com baixo contraste.

Erros imagem 01

O aparelho OPTEC 6500 que utilizamos no Instituto é um dos mais modernos testes de sensibilidade ao contraste que existem, sendo considerado "Gold Standard" (ou padrão em relação ao qual todos os outros testes são comparados) pelo FDA americano.

Erros imagem 01

Leia mais sobre Tecnologia - Teste de Sensibilidade ao Contraste
Leia mais sobre Cirurgia da catarata

Facebook - Instituto Reynaldo Rezende
Desenvolvido por ARZ